Cartas de amor em Paris

Crédito da foto: Blog Em cada página

Se tem uma coisa que me deixa animada é um livro novo. Dia com chuva então, um lugar aconchegante, com uma bebidinha quente e um livro nas mãos é um dos meus passatempos preferidos. Era, né? Depois que me tornei mãe, isso virou sonho. Não consigo mais ler em casa, então hoje em dia virei leitora de metrô. Sou dessas que encontra qualquer espacinho livre no metrô entupido, vou toda torta nos 30 minutos que tenho de deslocamento da minha estação ao trabalho. É o curto tempo que me encontro com a minha paixão. Já foram várias as vezes que passei da minha estação! rsrs

Um dos últimos livros que li foi um romance lindo, Cartas de amor de Paris de Samantha Vérant. Que livro encantador! Daqueles que você vive as emoções da autora, sente as angústias e fica torcendo muito pra um final feliz. Nesse caso era a história de amor da vida da autora mesmo, a história em sua maioria se passa em Paris, citando muitos pontos turísticos de uma parte que nunca tinha ouvido muito, toulouse. Viajei naquela cidade romântica, fantasiando com castelos, construções e as aventuras gastronômicas de Samantha. Curti mesmo e super recomendo!

Vinte anos depois do primeiro encontro, Samantha finalmente descobre o amor de sua vida… Aos 19 anos, Samantha Vérant conheceu o encantador Jean-Luc em uma curta viagem à França. Eles aproveitaram o clima romântico de Paris e, quando ela voltou para casa, ele escreveu sete lindas cartas de amor – que ela nunca respondeu. Vinte anos mais tarde, à beira de um divórcio e se perguntando em que ponto sua vida começou a dar errado, Samantha encontra as cartas de Jean-Luc. Ela então o procura na internet para enfim responder às cartas com um longo pedido de desculpas atrasado. Então rapidamente descobre que a conexão entre ambos continua tão forte quanto no dia em que ela o deixou sozinho em uma plataforma de trem em Paris. Samantha sabe que ir à França para reencontrar o homem com o qual dividiu apenas um dia ensolarado e cheio de paixão é loucura!

Leia mais

Toda mãe é mãe – Blog Mãezíssima

Eu leio muitos blogs de moda, de decoração e principalmente os blogs maternos. Me deparei hoje com um que eu não conhecia, mas que me encantou de certa forma, que é o blog Mãezíssima da Grace Barbosa , mãe da Julia e da Ester. Ela tem um espaço lindo, cheio de informações bacanas, mas o que me chamou a atenção foi a campanha Toda mãe é mãe.

Incrível como todas nós mães já tivemos ao longo do percurso desde a gravidez, algum comentário ácido sobre determinada escolha de qualquer assunto aleatório, geralmente começa pela escolha do parto. E como toda mãe, tem sua cabeça pensante, suas ideologias, jeito, credo e cor, nada mais interessante do que uma campanha que luta pela tolerância de diferentes opiniões e a união das mulheres, quando é esse assunto que está em pauta – a maternidade.

O que é a campanha? (Definição da Grace)

E se em vez de diferenças, encontrássemos o que nos une e nos torna Mãe? Se em vez de enxergar as diferenças entre uma alimentação vegetariana e outra que inclua carne, focássemos no carinho com que cada mãe alimenta seu filho? E se em vez de ver problemas na mãe que amamenta com fórmula ou peito, víssemos como amamentar pode ser um momento precioso entre mãe e bebê? E se em vez de questionar a mãe que usa tecnologia no momento de diversão com seu filho ou aquela que prefere materiais naturais, lembrássemos como é cada vez mais difícil encontrar tempo para estar com os filhos e parabenizássemos as duas por conseguirem se dedicar de forma tão atenciosa?

Se nós mães, num minuto de vulnerabilidade pararmos nossas guerras maternas, iremos encontrar muito mais pontos que nos unem do que aqueles que nos separam. Iremos encontrar mais coisas que nos aproximam do que situações que nos afastam. Depois de abaixarmos as armas, podemos encontrar no caminho do acolhimento o apoio que toda mãe precisa. Nessa guerra não existem vencedoras, saímos todas perdendo um ombro amigo, uma ajuda na hora do aperto, a possibilidade de uma grande amizade entre nossos filhos.

Porque antes das ideias que temos e defendemos sobre criação, alimentação e educação. Antes de termos essa ou aquela corrente como certa ou errada. Somos mães buscando acertar, buscando criar filhos saudáveis e felizes. Chegou a hora de reconhecer que TODA MÃE É MÃE!

Eu AMEI e vou tentar ajudar do meu jeito o amor e respeito à todas as mães. Junte-se a nós nessa campanha tão bacana!

Parabéns Grace, pela iniciativa e o amor em fazer essa campanha de união!!

Abaixo coloco algumas das imagens da campanha:

   

Leia mais