Cartas de amor em Paris

Crédito da foto: Blog Em cada página

Se tem uma coisa que me deixa animada é um livro novo. Dia com chuva então, um lugar aconchegante, com uma bebidinha quente e um livro nas mãos é um dos meus passatempos preferidos. Era, né? Depois que me tornei mãe, isso virou sonho. Não consigo mais ler em casa, então hoje em dia virei leitora de metrô. Sou dessas que encontra qualquer espacinho livre no metrô entupido, vou toda torta nos 30 minutos que tenho de deslocamento da minha estação ao trabalho. É o curto tempo que me encontro com a minha paixão. Já foram várias as vezes que passei da minha estação! rsrs

Um dos últimos livros que li foi um romance lindo, Cartas de amor de Paris de Samantha Vérant. Que livro encantador! Daqueles que você vive as emoções da autora, sente as angústias e fica torcendo muito pra um final feliz. Nesse caso era a história de amor da vida da autora mesmo, a história em sua maioria se passa em Paris, citando muitos pontos turísticos de uma parte que nunca tinha ouvido muito, toulouse. Viajei naquela cidade romântica, fantasiando com castelos, construções e as aventuras gastronômicas de Samantha. Curti mesmo e super recomendo!

Vinte anos depois do primeiro encontro, Samantha finalmente descobre o amor de sua vida… Aos 19 anos, Samantha Vérant conheceu o encantador Jean-Luc em uma curta viagem à França. Eles aproveitaram o clima romântico de Paris e, quando ela voltou para casa, ele escreveu sete lindas cartas de amor – que ela nunca respondeu. Vinte anos mais tarde, à beira de um divórcio e se perguntando em que ponto sua vida começou a dar errado, Samantha encontra as cartas de Jean-Luc. Ela então o procura na internet para enfim responder às cartas com um longo pedido de desculpas atrasado. Então rapidamente descobre que a conexão entre ambos continua tão forte quanto no dia em que ela o deixou sozinho em uma plataforma de trem em Paris. Samantha sabe que ir à França para reencontrar o homem com o qual dividiu apenas um dia ensolarado e cheio de paixão é loucura!

Leia mais

Dois a dois – Nicholas Sparks

Minha última leitura, foi Dois a dois do meu romancista preferido. Nicholas Sparks, me surpreendeu muito com esse lançamento!

Dois a dois foi um dos livros que mais demorei a simpatizar com os personagens principais. O drama da mãe que larga a filha aos cuidados do pai chega a me revoltar em certos momentos (qual mãe que não se revolta com uma mulher que liga uma tecla de um “F” bem grande, quando se trata da criação de um filho?). Mas certamente o que me fez ficar por vários momentos com um nó na garganta, foi o relacionamento do protagonista com sua irmã mais velha. Não vou dar mais spoiler, vale super a leitura!

“Com uma carreira bem-sucedida, uma linda esposa e uma adorável filha de 6 anos, Russell Green tem uma vida de dar inveja. Ele está tão certo de que essa paz reinará para sempre que não percebe quando a situação começa a sair dos trilhos. Em questão de meses, Russ perde o emprego e a confiança da esposa, que se afasta dele e se vê obrigada a voltar a trabalhar. Precisando lutar para se adaptar a uma nova realidade, ele se desdobra para cuidar da filhinha, London, e começa a reinventar a vida profissional e afetiva – e a se abrir para antigas e novas emoções. Lançando-se nesse universo desconhecido, Russ embarca com London numa jornada ao mesmo tempo assustadora e gratificante, que testará suas habilidades e seu equilíbrio emocional além do que ele poderia ter imaginado. Em ‘Dois a dois’, Nicholas Sparks conta a história de um homem que precisa se redescobrir e buscar qualidades que nem desconfiava possuir para lutar pelo que é mais importante na vida: aqueles que amamos.”

Leia mais

A menina da neve – Eowyn Ivey

A menina de neve

A Menina da Neve de Eowyn Ivey, foi minha última leitura e apesar de ter lido algumas críticas ótimas sobre ele, só começou a me prender depois do 2º capítulo. No início me lembrou muito a historinha que já tinha assistido com o meu filho Theo, o episódio “Snegurochka” do desenho Contos da Masha. Esse livro não tem nada de infantil, mas é lúdico, é intenso e criativo. Eu curti, me transportei diversas vezes para o Alasca com o enredo do livro, tem tudo pra virar um filme.

Alasca, 1920: Um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando um do outro cada vez mais – ele, no duro trabalho da fazenda, ela, se perdendo na solidão e no desespero. Em um dos raros momentos juntos durante a primeira nevasca da temporada, eles fazem uma criança de neve. Na manhã seguinte, ela simplesmente desaparece. Jack e Mabel avistam uma menina loira correndo por entre as árvores, mas a criança não é comum. Ela caça com uma raposa-vermelha ao lado e, de alguma forma, consegue sobreviver sozinha no rigoroso inverno do Alasca. Enquanto o casal se esforça para entendê-la – uma criança que poderia ter saído das páginas de um conto de fadas -, eles começam a amá-la como se ela fosse filha deles. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam ser, e o que aprendem sobre essa misteriosa menina vai transformar a vida de todos eles.

Leia mais